15 estatísticas interessantes sobre Empregadas Domésticas

Fique sabendo: 15 estatísticas sobre a profissão de Empregada Doméstica que talvez você ainda não conhecia

15 estatísticas interessantes sobre Empregadas Domésticas

Leia também:
Organize a rotina de limpeza da sua casa
Planejamento de limpeza doméstica
Contratar diarista online: veja as vantagens

 

1 - Dos estados pesquisados pelo IBGE pelo menos nos 10 maiores estados brasileiros, apenas 10% das empregadas domésticas trabalham com registro em carteira, ou sejam são CLT.

 

2- Outro dado, esse fornecido pelo Profissão Repórter, no Pará a maior parte das empregas domésticas recebe menos do que 1 salário mínimo.

 

3 - Em São Paulo, apenas 2% das empregas domésticas dormem no local de trabalho. E, não é fácil encontrar uma empregada que queira trabalhar com esse modelo de contratação.

 

4 - Na região de São Paulo apenas cerca de 40% das domésticas possuem carteira assinada, e boa parte dessa porcentagem está contratada por empresas que fornecem serviço de limpeza.

 

5 - Outra informação muito interessante é que o grau de instrução, ou seja, a escolaridade das empregadas domésticas aumentou nos últimos 10 anos, em Brasília, por exemplo foi um amento de mais de 10% no número de domésticas que possuem o Ensino Médico completo ou o Ensino Superior Incompleto / Cursando.

 

6 - Segundo o sindicato cerca de 5,9 milhões de brasileiras são trabalhadoras domésticas.

 

7 - A pesquisa do IBGE realizada em 2010 indicava que de todos os empregados domésticos do Brasil 94,5% são mulheres.

 

8 - Na mesma pesquisa do total dos trabalhadores domésticos cerca de 30% está com idade entre 35 e 44 anos, e apenas 5.8% tem entre 18 a 24 anos, isso mostra que nos últimos anos os jovens não buscam mais o serviço doméstico como opção de emprego.

 

9 - Pelo menos 64% dos trabalhadores domésticos tem mais de 2 anos de experiência nesse tipo de atividade.

 

10 - E na mesma pesquisa realizada pelo IBGE 62% dos empregados domésticos são negros ou pardos, número que diminui a cada ano, porém acredita-se que com a entrada de Haitianos esse número aumentou, pela falta de formação específica.

 

11 – Segundo pesquisa realizada pelo IBGE o número de trabalhadores domésticos deve pelo menos aumentar em 15% por conta da crise econômica no Brasil, e pelo número de desempregados, assim como ocorreu na crise de 2009.

 

12 – Essa mesma pesquisa indica que também diminuirá a porcentagem de empregados domésticos com registro em carteira.

 

13 – Outro dado informado pelo IBGE é o aumento nos ganhos dos trabalhadores domésticos nos últimos 10 anos, o crescimento médio nos rendimentos foi de 48%, dependendo da região do país, o maior aumento foi encontrado no Estado de São Paulo.

 

14 – Segundo a Organização Internacional do Trabalho o Brasil é o país com o maior número de empregados domésticos no Mundo, isso porque a pesquisa não conta os menores de 15 anos que atuam como trabalhadores doméstico (cerca de 7,5 milhões de crianças).

 

15 – Para ficar atento, as doenças mais comuns da categoria são problemas respiratórios causados por uso de produtos de limpeza e problemas na coluna, por carregar peso ou má postura.

 

Esses são alguns dados sobre os empregadas domésticas, infelizmente as informações ainda estão muito soltas, e mesmo o IBGE não tem uma pesquisa completamente focada à esses profissionais, porém com a profissionalização da categoria, provavelmente os sindicatos, e os órgãos públicos terão dados mais amplos.

 

Postado em:

16 de August de 2016

Autor:

Autor Blog

Fonte:



assinar
Fique por dentro de todos os nossos posts

Digite seu e-mail abaixo e receba diretamente na sua caixa de entrada.